Igreja expressa solidariedade com vítimas do Furacão Eta

Desastre natural atingiu diversos países da América Central, deixando ao menos 200 mortos até o momento

O Furacão Eta, de categoria 4, com ventos de 140km/h causou, até o presente momento, pelo menos 200 mortes em diversos países da América Central, principalmente em Honduras, Nicarágua e Guatemala. No domingo, 8, o furacão também atingiu o estado norte-americano da Flórida.

O Papa Francisco, no Angelus do último domingo, expressou sua solidariedade com às vítimas do furacão ao avistar, na Praça de São Pedro: “Que o Senhor acolha os mortos, conforte seus familiares e ampare os mais provados, assim como os que estão trabalhando para ajudá-los”, rezou o Santo Padre.

Manifestação do CELAM

A Presidência do Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM), na segunda-feira, 9, emitiu uma nota expressando a sua proximidade espiritual e concreta às vítimas do furacão: “As vítimas e os danos causados por este violento furacão nos enchem de profunda dor; por isso, queremos nos aproximar espiritualmente a vocês com o consolo da oração, mas também com uma ajuda concreta, que já foi ativada através da Cáritas Latino-americana e Caribenha”.

CLIQUE E LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA (em Espanhol)

A Presidência do CELAM agradeceu, também, o trabalho de todos os agentes pastorais nos territórios afetados, que são a “presença samaritana da Igreja, que está sempre perto daquele que sofre”.

Citando a última Encíclica do Papa Francisco, Fratelli Tutti, os bispos recordaram que “a caridade, com seu dinamismo universal, pode construir um mundo novo, porque não é um sentimento estéril, mas a melhor maneira de alcançar caminhos eficazes de desenvolvimentos para todos” (FT 183).

O Cardeal Odilo Scherer, Arcebispo Metropolitano, foi um dos bispos signatários da nota, pois, atualmente, é o Primeiro Vice-presidente do organismo.

Conferências episcopais

Na sexta-feira, 6, a Conferência Episcopal da Guatemala enviou uma mensagem de solidariedade a todas as pessoas atingidas, recordando que a tragédia é ocasião para os cristãos mostrarem “o rosto de misericórdia” de Deus. Os bispos do país conclamaram as autoridades locais para que deem o apoio devido à população e instituições internacionais para que, também, ajudem os países atingidos. “O padecimento do irmão pede uma respostas que não pode diferir-se”, concluíram os bispos.

A Conferência Episcopal da Honduras, na quinta-feira, 5, já havia expressado comunhão e apoio à população atingida pelo furacão no país, lembrando que a tragédia natural ocorre no meio das dificuldades da pandemia de coronavírus: “Em meio deste emergência meteorológica, não esqueçamos que o COVID-19 está ainda presente e o risco de contágio é muito alto. Na medida do possível, tenhamos o cuidado necessário para cumprir com as disposições básicas de biossegurança”.

Fontes: Vatican News/ CELAM/ Conferência Episcopal da Guatemala/ Conferência Episcopal de Honduras

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter