‘Obviamente’ não aceitamos aborto como direito humano, diz ‘chanceler’ da Santa Sé

Arcebispo Paul Galagher (foto: Daniel Ibáñez/CNA)

O secretário do Vaticano para as Relações com os Estados, o Arcebispo Paul Gallagher, disse na quarta-feira, 7, que a Sé Apostólica rejeita a definição do aborto como direito humano fundamental adotada pelo Parlamento Europeu no dia 24 de junho.

Respondendo a uma pergunta da rádio Renascença, da Conferência Episcopal Portuguesa, durante uma visita a Lisboa, Gallagher disse: “Obviamente não é difícil supor qual seja a posição da Santa Sé sobre este assunto. Somos contra a ideia de que o aborto venha a ser um direito humano”.

Além de definir o aborto parte dos “cuidados de saúde essenciais” o órgão parlamentar da União Europeia definida objeção de consciência de profissionais de saúde que não queiram fazer abortos como “negação de cuidados médicos”. Respondendo sobre a ameaça à objeção de consciência, Gallagher disse: “E estamos muito desapontados que as cláusulas de consciência, onde quer que existam, em quaisquer circunstâncias, qualquer que seja a lei, sejam eliminadas. E sabemos que é uma tendência crescente em muitas partes do mundo. Por isso, também estamos desapontados com essa decisão”.

Gallagher, que é uma espécie de ministro das Relações Exteriores da Santa Sé, encontrou-se com Augusto Santos Silva, o Ministro dos Negócios Estrangeiros português, durante a sua visita a Portugal, que irá acolher a Jornada Mundial da Juventude em 2023.

Fonte: ACI Digital

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter