Imagens sacras: a representação daquilo que nos aproxima de Deus

Elas remetem os fiéis a um significado íntimo e profundo, seja em um simples altar em casa, seja nas igrejas

Imagens sacras: a representação daquilo que nos aproxima de Deus
Cristo em Majestade – Basílica do Santuário Nacional da Imaculada Conceição, em Washington D.C

O jornal O SÃO PAULO tem publicado uma série de reflexões sobre os sinais da fé cristã, com base no livro da Editora Quadrante “Sinais de Vida – Quarenta Costumes Católicos e suas Raízes Bíblicas”, do teólogo Scott Hahn.

Dando sequência à série, apresentamos uma reflexão sobre a devoção às imagens sacras. Elas remetem os fiéis a um significado íntimo e profundo, seja em um simples altar em casa, seja nas igrejas. Quando se volta o olhar para uma imagem, recorda-se que aquela pessoa, ali representada, viveu conforme a vontade de Deus e se tornou um modelo de vida e santidade.  

 “Já que alguns nos consideram em erro por venerar e honrar a imagem do Nosso Salvador e de Nossa Senhora, bem como as imagens dos outros santos e servos de Cristo, recordamos a eles que no princípio Deus criou o homem à sua imagem (cf. Gn 1,26). Com base em que, portanto, honramos uns aos outros, senão pelo fato de que somos feitos à imagem de Deus? Pois, como diz Basílio, versado intérprete das coisas divinas, a honra dada à imagem é transferida para o protótipo”, recorda Scott Hahn em sua obra.

VENERAÇÃO E ADORAÇÃO

Os católicos veneraram os santos, o que é muito diferente de adoração. Na verdade, as imagens são como fotos com as quais recordamos entes queridos.

A palavra dulia vem do grego doulo, que significa “servidor”. Dulia, em português, quer dizer “reverência, veneração”. Latria é “adoração”, vem do grego latreia, que significa “serviço ou culto prestado a um soberano senhor”. Portanto, não há como confundir o culto prestado a Deus com o culto prestado aos santos.

“Aquilo que a face de Jesus humano revelou ao longo de sua vida do século I é revelado pelas imagens sacras. Mesmo as imagens que retratam Jesus como um governante e um juiz também o retratam como um homem e nos lembram da sua humildade, da sua disposição para adotar a condição humana, repleta como é de fraquezas”, recorda o livro “Sinais de Vida”.

ESTIMULAM A ORAÇÃO

Imagens sacras: a representação daquilo que nos aproxima de Deus
Luciney Martins/O SÃO PAULO

Segundo Hahn, nem todos são capazes de ler os mistérios da salvação, apresentados pelas Sagradas Escrituras e, por isso, “os padres aprovaram a representação desses acontecimentos por meio de imagens […], de maneira que formassem um memorial conciso do que se passou”. O Concílio Ecumênico de Niceia, no ano 789, que aprovou o uso de imagens, afirmou:

“Na trilha da doutrina divinamente inspirada de nossos santos padres e da tradição da Igreja Católica, que sabemos ser a tradição do Espírito Santo que habita nela, definimos com toda certeza e acerto que as veneráveis e santas imagens, bem como as representações da Cruz preciosa e vivificante, sejam elas pintadas, de mosaico ou de qualquer outra matéria apropriada, devem ser colocadas nas santas igrejas de Deus, sobre os utensílios e as vestes sacras, sobre paredes e em quadros, nas casas e nos caminhos, tanto a imagem de Nosso Senhor, Deus e Salvador, Jesus Cristo, como a de Nossa Senhora, a puríssima e santíssima mãe de Deus, dos santos anjos, de todos os santos e dos justos.”

São João Damasceno, Doutor da Igreja, dizia: “A beleza e a cor das imagens estimulam minha oração. É uma festa para os meus olhos, tanto quanto o espetáculo do campo estimula meu coração a dar glória a Deus”.

INTERCESSÃO DOS SANTOS

Imagens sacras: a representação daquilo que nos aproxima de Deus
Luciney Martins/O SÃO PAULO

São Jerônimo dizia: “Se, aqui na Terra, os santos em vida rezavam e trabalhavam tanto por nós, quanto mais não o farão no Céu, diante de Deus. Santa Teresinha do Menino Jesus dizia que “ia passar o Céu na terra”, ou seja, intercedendo pelas pessoas.

O Catecismo da Igreja Católica nos ensina o seguinte, no § 956: “Pelo fato de os habitantes do Céu estarem unidos mais intimamente com Cristo, consolidam com mais firmeza na santidade toda a Igreja. Eles não deixam de interceder por nós ao Pai, apresentando os méritos que alcançaram na terra pelo único mediador de Deus e dos homens, Cristo Jesus. Por seguinte, pela fraterna solicitude deles, a nossa fraqueza recebe o mais valioso auxílio” (Lumen gentium, 49).

- publicidade -

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Compartilhe!

Últimas Notícias

Prefeitura de SP ampliará testagem de COVID-19 em distritos com mais casos

Inquérito sorológico divulgado na quinta-feira, 9, indica que 9,8% dos paulistanos podem ter sido contagiados com o novo coronavírus

A solidariedade pode estar na porta ao lado

Não há dúvidas de que a população mais pobre é a que mais sofre com os impactos...

Contagem de casos se estabiliza e SP decide reabrir parques

Serão abertos na segunda 70 parques com limitação de público e horário O prefeito...

Líderes de ordens religiosas filipinas manifestam oposição à nova lei antiterrorismo

POR JOÃO FOUTO A associação que reúne os superiores gerais, homens e mulheres, das ordens religiosas nas Filipinas...

Dom Luiz Carlos preside missa na festa de Santa Isabel Rainha

No sábado, 4, Dom Luiz Carlos Dias, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Belém, presidiu missa na...

Newsletter