Dom Odilo: chamemos a todos pelo nome e valorizemos suas virtudes

Exortou o Arcebispo Metropolitano em seu programa diário na rádio 9 de Julho

Foto: Luciney Martins/O SÃO PAULO

Na liturgia de 3 de janeiro, a Igreja celebra a Festa do Santíssimo Nome de Jesus, uma tradição que por algum tempo ficou esquecida, mas que vem sendo retomada para lembrar o significado e a força desse nome.

“Jesus significa ‘Deus salva’ ou ‘Deus Salvador’”, destacou o Cardeal Odilo Pedro Scherer, no programa Encontro com o Pastor, da quarta-feira, na rádio 9 de Julho.

“O nome de Jesus indica a sua missão. Ele é o Deus que salva, Deus Salvador no meio de nós. Quando pronunciamos o nome de Jesus, devemos sempre lembrar que Ele é o Salvador da humanidade, é Aquele que nos tira do nada, dá um sentindo maior à nossa vida, dá uma perspectiva de vida eterna a nós que estamos no tempo, no meio da história, e que um dia partiremos deste mundo”, explicou o Arcebispo Metropolitano.

Dom Odilo lembrou, ainda, que na Solenidade da Epifania do Senhor, a ser celebrada no domingo, 7, os reis magos vão até o Menino Jesus para adorá-lo e presenteá-lo, reconhecendo que Ele é o Redentor, o Salvador da humanidade. “Também hoje, queremos reconhecer em Jesus o Filho de Deus, nosso Salvador, o grande Rei, aquele a quem Deus constituiu como Senhor, mestre e guia de toda a humanidade”, prosseguiu.

NÃO FALAR MAL DO IRMÃO E CHAMÁ-LO PELO NOME

No contexto da liturgia deste dia, Dom Odilo exortou que cada pessoa agradeça ao Senhor pelo nome que recebeu – “a Bíblia nos diz que Deus nos conhece pelo nome” – e procure conhecer a história de seu nome e o que significa.

O Arcebispo também recomendou que se evitem fazer piadas com os nomes alheios ou chamar as pessoas por apelidos ou ainda estigmatizá-las por alguma marca excêntrica ou negativa, algo recorrente nas práticas de bullying.

“Chamar as pessoas pelo nome é um sinal de apreço, de boa educação e de respeito pela pessoa”, insistiu o Cardeal Scherer.

Dom Odilo também exortou que as pessoas evitem falar mal uma das outras, e que procurem valorizar as virtudes que cada um tem.

“Todos temos defeitos, mas também temos qualidades, virtudes, coisas bonitas”, ressaltou, lembrando que quem aprecia as virtudes do próximo terá mais facilidade para cultivar-lhe apreço. Por outro lado, aquele que sempre se dedica a apenas a enxergar os defeitos alheios acaba sendo menos apreciado pelos demais.

“Evitemos nós de ser daqueles que sempre acham defeitos nos outros. Associemos os nomes da pessoas com as qualidades boas, com suas virtudes, com as boas coisas que fazem e, assim, estaremos ajudando a promover a dignidade, o respeito por todos. Ensinemos isto também às crianças”, pediu Dom Odilo.

guest
1 Comentário
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Decio Martins de Medeiros
Decio Martins de Medeiros
2 meses atrás

O dia 3 de janeiro do ano menos um do calendário Juliano vigente na época equivale ao dia 1 de janeiro do ano zero do calendário atual Gregoriano. Neste dia, Cristo, com 8 dias de vida, foi circuncidado e recebeu o nome de Jesus, durante este ritual judaico.