Na Brasilândia, celebração do Dia Mundial dos Pobres une lideranças pastorais

Jackeline Gasperini

No sábado, 13, a Região Episcopal Brasilândia celebrou o V Dia Mundial dos Pobres, instituído pelo Papa Francisco no encerramento do Ano da Misericórdia, em 2016, comemorado neste ano no domingo, 14.

O encontro aconteceu na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Vila Souza, Setor São José Operário, e foi organizado pelas pastorais sociais e a Coordenação Regional de Pastoral, com o apoio da Pastoral da Comunicação, com o objetivo de transmitir a espiritualidade e proporcionar o fortalecimento que inspire a seguir o caminho de Jesus Cristo, além de agradecer aos envolvidos os trabalhos realizados ao longo destes anos, especialmente neste tempo de pandemia.

As três dimensões da caridade – assistência, promoção e transformação – foram enfatizadas em toda a Arquidiocese de São Paulo, a fim de renovar seu compromisso com os mais necessitados. Também foi estimulada a reflexão do lema bíblico desta edição: “Sempre tereis pobres entre vós” (Mc 14,7), bem como do tema que norteia as ações, “Sentes compaixão?”.

Dom Carlos Silva, OFMCap, Bispo Auxiliar da Arquidiocese na Região Brasilândia, deu as boas-vindas aos padres, religiosos e agentes pastorais e das comunidades que foram os representantes dos seis setores da Região na atividade.

Padre Fabrício Moraes, Coordenador Regional de Pastoral, destacou uma igreja em saída, missionária em busca da fraternidade, com grande projeto de evangelização, de caridade, de pessoas que fazem, colaboram e ajudam. Enfatizou, ainda, que durante a pandemia, todos foram chamados à simplicidade e a fazer obras de misericórdia. “Os pobres não são estatísticas. É preciso a cultura do encontro que leve à partilha, sair dos postos de arrecadação com atitude e proximidade, qualidade de serviço em que a razão deve ser o amor”, afirmou o Padre.

Entre os representantes estiveram membros do movimento dos Vicentinos; grupos de confecção de máscaras, farmácia social e distribuição de marmitas, entre outros. Algumas pastorais também deram seu testemunho: Carcerária; do Migrante; da Mulher; da Criança; Fraternidade Cristã de Pessoas com Deficiência; Fraternidade Missionária Emaús, na esperança de que todos os católicos possam recordar o exemplo de Jesus Cristo, com especial atenção aos mais necessitados, voltando seu olhar às situações que geram pobreza.

Em sinal de gratidão, foram distribuídas rosas a todos os presentes, simbolizando a importância do trabalho realizado por cada um.

Ao fim do encontro, Dom Carlos deu a bênção de envio, a fim de que o ânimo solidário seja anunciado e acolhido por todos.

(Por Patrícia Beatriz Lopes – Colaboração especial para a Região)

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter