Na Padaria Santa Dulce dos Pobres, a caridade é o ingrediente principal

Semanalmente, na Paróquia São Judas Tadeu, na Vila Miriam, são produzidos pães para serem doados a famílias mais pobres

(crédito: Arquivo paroquial)

É quarta-feira e a movimentação está intensa no salão paroquial da Igreja São Judas Tadeu, na Vila Miriam, na zona Noroeste da capital.

Das 8h às 16h, duas equipes de leigos, com a ajuda de religiosas e seminaristas da Congregação de Nossa Senhora do Calvário, se revezam para colocar a mão na massa, literalmente: uma vez por semana, eles produzem pães, que são destinados a pessoas em situação de vulnerabilidade social assistidas pela Paróquia.

A Padaria Santa Dulce dos Pobres, criada pela Paróquia São Judas Tadeu em junho deste ano, produz a cada quarta-feira, 40 pães, em média, distribuídos no próprio dia, sendo que na segunda quarta-feira de cada mês, quando há a entrega de cestas básicas, essa quantidade é triplicada.

As entregas são feitas seguindo todos os protocolos de enfrentamento do novo coronavírus: ninguém pode entrar no salão paroquial sem máscaras, há álcool em gel disponível e sempre há alguém que organiza as filas, para assegurar que seja respeitado o distanciamento social recomendado entre as pessoas.

“A história da Padaria Santa Dulce dos Pobres nasceu como fruto da Campanha da Fraternidade deste ano, infelizmente neste momento de dor e de sofrimento que atravessam tantas famílias vitimadas pela COVID-19”, relata a paroquiana Marina de Sousa, em um texto no qual resgata o histórico da iniciativa. “Na Campanha da Fraternidade, fomos convidados a ter um olhar com mais atenção para a vida. A CF proclama que a vida, sendo Dom e Compromisso, consiste em ver, ser solidário e cuidar”, continua.

“A iniciativa de produzirmos pães para doação surge em meio outros tantos apelos, como a perda de emprego e subempregos. As famílias que já se encontravam em situação de vulnerabilidade precisam agora ‘priorizar as prioridades’, não tendo muitas vezes o dinheiro para o ‘pãozinho’.  Em alguns casos, quem sabe, este é o único alimento do dia”, afirma Marina.

A exemplo do ‘Anjo bom da Bahia’

A inspiração para os trabalhos é justamente o testemunho de Santa Dulce dos Pobres, “uma vida de fé, caridade e compaixão pelos mais fragilizados”, comenta Marina.

“Esperamos que essa ação social possa continuar na mesma profecia de Irmã Dulce. Com ela, queremos e precisamos lutar, para que a dignidade humana dessas famílias seja assegurada por ações afirmativas e políticas públicas, que garantam suprir os direitos básicos e inalienáveis ao ser humano”, afirma, mencionando, ainda, uma outra máxima da Santa conhecida como o “Anjo bom da Bahia”, canonizada pelo Papa Francisco em outubro do ano passado: “No amor e na fé, encontraremos as forças necessárias para nossa missão”.

A produção dos pães, a propósito, só tem sido possível graças a empresas e pessoas que doam farinha e fermento à Paróquia, e de outras que, como Marina, oferecem seu tempo para a produção e a entrega dos pães.

Mensalmente, a Paróquia São Judas Tadeu, por meio da Pastoral da Promoção Social, fornece cestas básicas a 55 famílias cadastradas e a aproximadamente cem famílias não cadastradas. As iniciativas são animadas pelos Padres Antônio Leite Barbosa Júnior, Pároco, e Armênio Rodrigues Nogueira, Vigário Paroquial.

Os interessados em colaborar com as obras de caridade da Paróquia São Judas Tadeu podem se informar pelo telefone (11) 3975-2121, pelo WhatsApp (11) 93421-9887 ou diretamente na secretaria da matriz paroquial: Rua João Alves Pimenta, 152, Vila Miriam.

VEJA MAIS FOTOS DA INICIATIVA

(Crédito: Deusdete)

A Paróquia também está nas plataformas digitais

YouTube: paroquiasjt28

Instagram: stj28oficial

Facebook: paroquiasjt28

(Colaborou: Pastoral da Comunicação da Paróquia São Judas Tadeu)

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter