‘Que Deus nos dê, cada vez mais, um coração de filhos, para sermos dignos da herança prometida’

‘Que Deus nos dê, cada vez mais, um coração de filhos, para sermos dignos da herança prometida’, Jornal O São Paulo
(Foto: Bruno Melo/Arquivo)

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu, na capela da sua residência, a missa desta segunda-feira, 12, transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais da Arquidiocese.

Dom Odilo rezou, de modo especial, pela 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que começa nesta segunda-feira, 12 e segue até sexta-feira, 16. Pela primeira vez o encontro do episcopado acontecerá de forma virtual, devido à atual pandemia.

Na homilia, o Cardeal chamou a atenção para a oração litúrgica do dia, que diz: “Deus eterno e todo-poderoso, a quem ousamos chamar de Pai, dai-nos cada vez mais um coração de filhos para alcançarmos a herança prometida”.

“Essa oração reflete o espírito do tempo pascal. Nós ressurgimos com Cristo pelo Batismo e, por isso, nossa vida como cristãos deve ser coerente com aquilo que recebemos no Batismo”, afirmou, acrescentando que o centro do mistério batismal é este: “Deus é nosso Pai e, por sua misericórdia e benevolência, faz-nos seus filhos por meio de seu Filho, Jesus Cristo”.  

O Arcebispo ressaltou, ainda, que os cristãos são chamados a ter um comportamento coerente com o seu ser. “Toda a moral cristã está incluída nesse aspecto: viver um comportamento digno dos filhos de Deus, observar os mandamentos que expressam a vontade amorosa de Deus sobre o caminho certo”, reforçou  

Dom Odilo também lembrou que os filhos não se esquecem do Pai e se aproximam dele por meio da vida de oração, da sua busca constante pela mística, espiritualidade, sacramentos e pela liturgia.

A “herança prometida” a qual se refere a oração é a vida eterna. Nesse sentido, o Cardeal recordou o que ensinava o primeiro catecismo da infância, quando perguntava “Para que vivemos?”. A resposta era: “Vivemos para conhecer e amor e servir a Deus e esperar a recompensa eterna”.  

“Peçamos a Deus que nos dê, cada vez mais, um coração de filhos para sermos dignos e merecedores da herança que ele nos prometeu”, completou o Arcebispo.  

Já o Evangelho (Jo 3,1-8) narra o encontro de Jesus com Nicodemos, no qual o Senhor lhe diz: “Em verdade, em verdade, te digo, se alguém não nasce do alto, não pode ver o Reino de Deus”.

Ao explicar essas palavras, Dom Odilo destacou que nascer de novo significa “nascer pela fé, para viver segundo Deus”. “Está relacionado com o Batismo, o nascimento para a graça de Deus, para a filiação divina, para a nova condição de filhos de Deus”, completou, pedindo:

“Que Deus nos dê a graça de compreender e valorizar cada vez mais o que recebemos pelo Batismo”.

Deixe um comentário