Maradona jogou pela paz a pedido de Francisco

Campeão do mundo com a seleção da Argentina, em 1986, um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos morreu nesta quarta-feira, 25. Ele encontrou-se com o Papa, no Vaticano, em 2014

Foto: Vatican Media

O Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni, disse aos jornalistas que o Papa Francisco ao ser informado sobre a morte do ex-jogador Diego Armando Maradona, nesta quarta-feira, 25, aos 60 anos de idade, recordou com afeto as ocasiões de encontro dos últimos anos e que rezou por ele nos últimos dias ao saber sobre suas condições de saúde.

Argentinos, Maradona e o Pontífice se encontraram em 1º de setembro de 2014, no Vaticano, horas antes daquele que ficou conhecido como o Jogo pela Paz, disputado no Estádio Olímpico de Roma, organizado pelas Scholas Occurrentes, promovidas pelo Papa, e pela associação de Xavier Zanetti.

Na ocasião, horas antes do jogo, Maradona deu um abraço emocionado no Papa, entregou-lhe uma camisa com as palavras “Francisco” e a dedicatória: “Ao Papa Francisco, com todo o meu carinho e muita paz para o mundo inteiro”. Maradona disse, à época, que o Papa era “o verdadeiro campeão” e a jornalistas comentou que retomava sua proximidade com a Igreja por ver a preocupação do atual Pontífice com os mais pobres.

“Acredito que todos nós temos algo no coração quando vemos a guerra, quando vemos a morte … Devemos deixar muitas coisas de lado e buscar a paz. Acho que este jogo quebra um pouco a ideia de que os jogadores não fazem nada pela paz: é o contrário! O que queremos é que as pessoas tenham consciência de que o melhor para todos é a paz”, disse Maradona antes da partida.

Depois, entrevista à rádio Vaticano, o campeão com a Argentina na Copa de 1986 agradeceu a todo o carinho que recebia de Francisco. “Hoje, acho que todos reconhecemos que ele é um fenômeno, que fará algo pelas crianças e que temos um Papa fantástico. Já conversamos sobre muitas coisas, o compromisso de aproximar os jogadores e fazer algo pelas crianças que não comem em muitas partes do mundo. E concordamos totalmente, mas vai demorar muito. Hoje posso dizer que sou adepto do Francisco”.

“O que estou vivendo é um sonho. Isso é o que eu queria fazer há muito tempo. Já joguei futebol e hoje há crianças que continuam jogando futebol, que precisam comprar calçados, para quem não tem campo para jogar. O que queremos fazer com Scholas é ajudá-los. E todos os jogadores, todos os jogadores de futebol estão com Francisco”, continuou.

Em 2016, na terceira edição do Jogo pela Paz, em 12 de outubro daquele ano, Maradona participou do evento e revelou que havia recebido um telefonema do Papa. “Quando me disseram que jogaríamos também pelos afetados pelo terremoto, pensei que não poderíamos perder uma iniciativa como essa. Faremos algo muito grande, arrecadaremos fundos para alimentar as crianças, dar nossa opinião sobre a paz e dar um grande aplauso ao Papa Francisco”.

(Com informações de Vatican News)

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter