Exposição ‘De Esperança em Esperança’

A mostra ‘De Esperança em Esperança’ retrata 30 anos de atuação do ‘Cardeal amigo do povo’ na cidade de São Paulo, desde a chegada a Santana até a aposentadoria

Começa na quinta-feira, 28, na Basílica Menor de Sant’Ana, uma exposição fotográfica em homenagem ao Cardeal Paulo Evaristo Arns.

A mostra “De Esperança em Esperança – Itinerário e Eclesiologia no Pastoreio de Dom Paulo Evaristo Arns” é um dos eventos que marcam o centenário de nascimento do cardeal. Também chamado de “cardeal amigo do povo”, pelo seu carisma e trabalho humanitário, Dom Paulo morreu em 2016. Se estivesse vivo, ele teria completado 100 anos no dia 14 de setembro de 2021.

A cerimônia de abertura da exposição, às 10h30, será presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Cardeal Odilo Pedro Scherer.

Onde tudo começou

A Igreja de Sant’Ana, que agora vai abrigar a série de imagens sobre 30 anos do itinerário do Cardeal Arns em São Paulo, é justamente o local onde ele começou a atuar na capital paulista.

Entre 1966 e 1970, Dom Paulo foi bispo auxiliar e morou na Paróquia Sant’Ana. O franciscano tomou posse como arcebispo metropolitano em 1º de novembro de 1970.

Legado

Segundo o Padre José Roberto Abreu de Mattos, Pároco eReitor da Basílica Menor de Sant’Ana e um dos curadores da exposição, a mostra vai destacar fotografias que traduzem e apresentam o “arcebispo da esperança”, como Dom Paulo era conhecido.

“Se no Cristianismo ouvimos falar de fraternidade, de Justiça e de amor, o trabalho de Dom Paulo com os Direitos Humanos ultrapassou fronteiras porque ele falou sempre a favor do pobre e do sofredor; da pessoa que precisa de auxílio. Isso ganhou projeção para o mundo.”

Padre Beto, como é conhecido, lembra que Dom Paulo Evaristo Arns foi bispo num período em que a Igreja no Brasil era muito perseguida, durante a ditadura militar. E não se omitiu e nem ficou parado diante das arbitrariedades.

A ideia da exposição

Padre José Roberto é professor de Teologia e Filosofia da PUC de São Paulo e contou com a colaboração do também professor Padre José Ulisses Leva e da jornalista Andrea Rodrigues dos Santos para selecionar os registros fotográficos.

“Ficamos sabendo das homenagens a Dom Paulo em vários segmentos da sociedade e tomamos a iniciativa de montar uma exposição que marcasse os 100 anos da sua vida, principalmente seu período eclesiológico na cidade de São Paulo.”

Padre Beto revelou que está escrevendo um artigo, que fará parte de uma série, para compor um livro a ser publicado no ano que vem sobre a vida de dom Paulo.

Segundo o Reitor da Basílica Menor de Sant’Ana, as 40 imagens vão retratar as três décadas de atuação do Cardeal Arns em São Paulo, desde a sua chegada a Santana até a aposentadoria. A mostra vai abordar todos os aspectos do trabalho do Cardeal, desde o religioso até o político e social.

Apaixonado pela cidade

Na avaliação do Padre Beto, Dom Paulo Evaristo Arns foi um profeta para a cidade de São Paulo e para o Brasil.

“Foi uma das grandes personalidades do século XX e do início deste século. Acima de tudo, ele era um homem de fé. Amante do apóstolo Paulo e apaixonado pela cidade de São Paulo. A espiritualidade dele nasce dessa realidade da cidade e do apóstolo Paulo.”

Convivência

Ao falar sobre o legado de Dom Paulo, Padre José Roberto Abreu de Mattos também relatou os quase 10 anos de convivência com o “cardeal do povo”, que deixou sua marca em defesa da liberdade e dos Direitos Humanos.

“Como seminarista – e durante os seis primeiros anos de padre – eu cantava nas missas celebradas por Dom Paulo na Catedral da Sé. Participar daquelas celebrações, cantar e escutar dom Paulo toda semana… E ele era muito prático: a homilia durava apenas sete minutos. E nesse curto espaço de tempo, ele pontuava toda a liturgia da Palavra daquele dia. E transmitia sempre uma grande mensagem, que marcava o coração das pessoas que estavam na Catedral da Sé. Só um homem de síntese, um homem inteligente é capaz de fazer isso.”

(Texto: Edmilson Fernandes)

SERVIÇO
A exposição “De Esperança em Esperança” vai durar 1 ano e a visitação é gratuita.
Local: Basílica Menor de Sant’Ana (Rua Voluntários da Pátria, 2060, São Paulo).
Horário: De segunda-feira a sábado – das 7h às 19h
Domingo: das 8h às 19h
Informações: (11) 2979-5558 e (11) 2281-9085
Atenção: grupos escolares devem reservar dia e horário para que a visita seja guiada.

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Assine nossa Newsletter