Confira nossa versão impressa

Dom Odilo: ‘Vivamos segundo a verdade’

Dom Odilo: ‘Vivamos segundo a verdade’

O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, presidiu, na capela de sua residência, a missa desta quarta-feira, 23, memória de São Pio de Pietrelcina. A Eucaristia foi transmitida pela rádio 9 de Julho e pelas mídias digitais da Arquidiocese.

O santo do dia nasceu em 25 de maio de 1887, em Pietrelcina, Itália e foi batizado com o nome de Francisco. Aos 16 anos, ingressou no noviciado da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, da cidadezinha de Morcone, onde adotou o nome de Frei Pio. Foi ordenado padre em 1910, no Convento de Benevento.

Padre Pio passou toda a sua vida contribuindo para a redenção do ser humano, cumprindo a missão de guiar espiritualmente os fiéis e celebrando a Eucaristia. Empenhou-se, assiduamente, na oração. Passava o dia e grande parte da noite conversando com Deus. Ele dizia: “Nos livros, procuramos Deus; na oração, o encontramos. A oração é a chave que abre o coração de Deus”.

SOFRIMENTO POR CRISTO

Durante muitos anos, experimentou os sofrimentos da alma, em razão de sua enfermidade e, ao longo de vários anos, suportou com serenidade as dores dos estigmas de Cristo que se manifestaram em seu corpo. Morreu no dia 23 de setembro de 1968, aos 81 anos.

“Pela intercessão de São Pio, peçamos por toda a Igreja, pelos sacerdotes, por aqueles que sofrem, a fim de que seus sofrimentos sejam acolhidos como parte do sacrifício de Cristo que nós oferecemos cada dia na missa”, destacou dom Odilo no início da missa.

Na homilia, o Cardeal enfatizou que São Pio era um homem conduzido pela verdade e pelo amor ao povo, à humanidade. “Toda sua dedicação era pela conversão e salvação das pessoas, dos pecadores” disse.

PALAVRA DA VERDADE

As leituras do dia dão destaque a relação da Palavra de Deus com a verdade. A primeira leitura (Pr 30,5-9) afirma que “a Palavra de Deus é comprovada” e “escudo” para os que nela acreditam. “Não acrescentes nada às suas palavras, para que ele não te repreenda e passes por mentiroso!”, diz o texto.

Já o Salmo (118) destaca o versículo Palavra é “uma luz para os meus passos” e o salmista pede, ainda: “Afastai-me do caminho da mentira e dai-me a vossa lei quanto um presente”.

Dom Odilo enfatizou que a falsidade destorce a vida, falseia os relacionamentos das pessoas, além de levar à corrupção moral e de tudo aquilo que deveria ser autêntico e bom diante de Deus. “Peçamos a Deus que também nós vivamos segundo a verdade e não nos deixemos levar pela mentira e pela falsidade”.

Notícias relacionadas

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe!

Últimas Notícias

Capela do Hospital Municipal Infantil Menino Jesus: 80 anos de história

Na série de reportagens sobre as capelas católicas em unidades hospitalares da capital paulista, o destaque de...

Cátedra de Cultura Judaica da PUC-SP comemora dez anos

O evento transmitido pela internet nesta sexta-feira, 23, marcou as comemorações dos dez anos da Cátedra de...

São João Paulo II: um Santo e poeta da Igreja

Dando sequência a série especial que rememora santos poetas da Igreja ao longo da história, O SÃO...

Declaração de Consenso de Genebra: avanço na luta contra o aborto

Brasil é um dos 32 países que assinam o documento que reforça a autonomia dos país na proteção da vida dos nascituros

Relatório da Caritas SP mostra os impactos da pandemia em crianças refugiadas

A equipe de Proteção do Centro de Referência para Refugiados da Caritas Arquidiocesana de São Paulo (CASP) produziu um relatório sobre os...

Newsletter