Em romaria, fiéis agradecem o dom da vida e pedem a intercessão da Mãe Aparecida pelo sínodo

Cardeal Odilo Pedro Scherer presidiu a missa da 121ª Romaria Arquidiocesana a Aparecida, no domingo, dia 1o

Em romaria, fiéis agradecem o dom da vida e pedem a intercessão da Mãe Aparecida pelo sínodo
Fotos: Luciney Martins/O SÃO PAULO

“Em procissão, em romaria/Romeiro ruma para a casa de Maria/ Em procissão, feliz da vida/Romeiro vai buscar a paz de Aparecida.” A canção “Lá no altar de Aparecida”, do Padre Zezinho, expressa o sentimento dos fiéis da Arquidiocese de São Paulo, que no domingo, dia 1o, participaram da 121a Romaria Arquidiocesana a Aparecida (SP). 

Após os dois anos da fase mais intensa da pandemia de COVID-19, a Romaria Arquidiocesana ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida voltou com a participação expressiva das paróquias e comunidades. 

Aproximadamente 9 mil peregrinos se dirigiram ao Santuário Nacional, em caravanas, a maioria deles em cerca de 200 ônibus, representando as paróquias e comunidades das seis regiões episcopais, bem como as pastorais e movimentos da Arquidiocese, somando-se aos devotos e romeiros de diversos lugares que também peregrinaram a Aparecida. 

A Santa Missa foi concelebrada pelos bispos auxiliares e sacerdotes do clero arquidiocesano e transmitida pela rádio 9 de Julho, mídias sociais e pela TV Aparecida

EM ROMARIA

Em romaria, fiéis agradecem o dom da vida e pedem a intercessão da Mãe Aparecida pelo sínodo

Com o tema “Com Maria, caminhe- mos unidos na Igreja de Cristo”, a Igreja Particular de São Paulo peregrinou ao Santuário Nacional para, diante da Padroeira do Brasil, agradecer as bênçãos de Deus recebidas sob a intercessão de Nossa Senhora Aparecida. 

Padre Tarcísio Marques Mesquita, Co- ordenador do Secretariado Arquidiocesano de Pastoral, destacou que as paróquias e comunidades se organizam, todos os anos, em caravanas para participar. 

“Este é o momento para apresentar a vida, sofrimentos, angústias e as alegrias da população da maior Arquidiocese do País”, disse, destacando que, após dois anos de restrições por causa do coronavírus, a procura e adesão à Romaria voltou a ser expressiva. 

À LUZ DA PALAVRA

Em romaria, fiéis agradecem o dom da vida e pedem a intercessão da Mãe Aparecida pelo sínodo

Na homilia, Dom Odilo recordou que, todos os anos, a Arquidiocese vai em peregrinação à casa de Nossa Senhora Aparecida para agradecer, louvar a Deus e pedir a bênção e proteção. Ele também falou das motivações e intenções para a 121a Romaria Arquidiocesana. 

“Este ano, de modo muito especial, queremos agradecer a Deus, por intercessão de Maria, a superação da pandemia até aqui, agradecer o dom da vida e da saúde e confiar a Maria o sínodo arquidiocesano em vigência”, sublinhou o Cardeal. 

“Estamos aqui diante da Mãe para pe- dir também pelos que sofrem as sequelas da COVID-19, pelos que perderam seus entes queridos, vítimas da pandemia, e pe- dir a proteção da saúde para as famílias e comunidades”, afirmou. 

Dom Odilo expressou a alegria de reunir novamente um grupo expressivo de fiéis para a Romaria, uma vez que em 2020, assim como no ano passado, participaram da Eucaristia um número menor de pessoas, que representaram as lideranças das seis regiões episcopais. 

Chamando a atenção para o Evangelho do 3o Domingo da Páscoa, o Arcebispo afirmou que os apóstolos estavam desanimados e desorientados diante da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus, mas o Mestre não os abandona, vai ao encontro deles e compreende a fragilidade humana. “No caminho, Jesus se apresenta, os conforta, os confirma e envia em missão para serem suas testemunhas”, disse. “Alegremo-nos por transmitir a fé”, enfatizou.

Por fim, Dom Odilo pediu: “Coloquemos nas mãos de Deus, sob a intercessão de Nossa Senhora Aparecida, as necessidades particulares, as famílias e todas as situações de sofrimento enfrentadas neste momento”. 

O Cardeal pediu orações e a bênção de Deus para o Brasil neste ano de eleições: “Todos nós, católicos e cristãos, somos chamados a desempenhar nossa responsabilidade de cidadãos para o bem do nosso País. Que, pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, o nosso Brasil possa crescer, ser melhor, depois desse tempo eleitoral, tornando-se um país mais reconciliado, que olhe mais para as necessidades reais da nossa população”, finalizou. 

DEVOÇÃO E FÉ 

Da Paróquia Imaculado Coração de Maria, no Jardim Princesa, Região Brasilândia, partiram 13 ônibus, levando os paroquianos e 30 jovens do grupo de Crisma. Viviane Simplicio Pereira, 17, falou à reportagem sobre a emoção de ir à casa da Mãe Aparecida. 

“Estar aqui no Santuário é motivo de alegria e gratidão. Nós somos a força jovem da Igreja que caminha e busca a cada dia estar em sintonia com os apelos do Evangelho”, disse. 

Entre os romeiros da Região Episcopal Belém, estavam os fiéis da Paróquia Jesus Ressuscitado, do bairro Santa Bárbara, incluindo o casal Jeane Marcelino, 45, cuidadora de idosos, e Roberto de Oliveira, 58, modelista, com a filha Geovanna Vitória. 

“Estar em Aparecida é uma bênção. Viemos para participar como comunidade da Romaria, mas, também, agradecer, pois fiquei um mês internada em uma  Unidade de Terapia Intensiva (UTI), por causa de uma complicação vascular”, afirmou Jeane, ressaltando que a força da oração transforma a dor em cura, as lágrimas em alegrias. 

CAMINHAR COM FÉ 

Da Paróquia São Vicente de Paulo, na Região Episcopal Ipiranga, os fiéis se dirigiram à Romaria em um ônibus. Uma dessas pessoas foi Elisabete Bonaire, membro da Pastoral do Dízimo. 

“No ônibus, juntos rezamos o Terço, e aqui, diante da Mãe Aparecida, queremos renovar nosso caminhar com fidelidade no seguimento a Cristo, na missão que Ele nos confia”, expressou, emocionada, recordando as preces que trouxe em seu coração para confiar a Nossa Senhora. 

As amigas de infância Maria Terezinha Arruda da Silva, 62, Antonia Aparecida Mendes, 72, e Filomena Catuto, 73, fiéis da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no Parque Edu Chaves, Região Episcopal Santana, há dez anos participam da Romaria Arquidiocesana. “Estar no Santuário é uma bênção, é um momento para agradecer a Deus e pedir pela nossa saúde, pela paz nas famílias e no mundo”, afirmaram. 

Da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, da Vila Zatt, na Região Brasilândia, uma delegação de 46 paroquianos esteve na Romaria, entre os quais Maria Aparecida Fracaroli: “Estou muito emocionada em estar de volta à casa da Mãe. Vivemos tempos difíceis, cercados de tantas incertezas e tribulações. Com a Mãe, fica mais leve a jornada cotidiana”, assegurou. 

Deixe um comentário